Gostou? Clica aqui:

segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Por sua conta e risco - Josh Bazell


Ganhei este livro em um sorteio (falei disso aqui), ele é continuação do Sinuca de bico (resenha aqui) e agora que acabei de ler, vim falar dele:

Ficha Técnica
Título: Por sua conta e risco
Título Original: Wild thing
Autor: Josh Bazell
Editora: Rocco
Tradução: Maira Parula
Ano: 2013
ISBN: 978-85-325-2812-4
Número de páginas: 381


Resenha Oficial:
Um ex-pistoleiro da Máfia com um diploma de medicina, um nome falso dado pelo programa federal de proteção a testemunhas, uma agulha hipodérmica na mão e uma arma na outra: Peter Brown* está de volta!
Contratado por um bilionário para integrar uma expedição incomum, o agora Pietro Brnwa* une-se à paleontóloga Violet na caçada a um monstro em White Lake, Minnesota. O animal é supostamente responsável por mortes misteriosas e assustadoras na região. Em meio à tensão, a dupla descobre que a cidade de Ford não é o que parece.
Misto de sátira política, ação e farsa, esta sequência de Sinuca de bico traz as marcas de uma das vozes mais inventivas da nova ficção policial. Em tom frenético e noras de rodapé insanamente divertidas, Bazzel extrai da cultura pop o que ela tem de melhor, armando um thriller violento e hilariante.

*Será que quem faz as resenhas não lê o livro com atenção? Sim, eu sou chata. Esta está quase certa, mas confundiu os nomes. O nome real do personagem é Pietro Brnwa, no primeiro livro ele usava o nome Peter Brown e neste ele usa Lionel Azimuth.


Minha Opinião

Gostei muito deste segundo livro, mesmo personagem principal, ainda tão envolvente quanto, mas em uma situação completamente diferente e com uma nova parceira: Violet, uma palentóloga incrivelmente racional e genial (me lembrou Bones, se bem que Violet demonstra emoções com mais frequência).

Amei, não houve um ponto que me deixou sem fôlego como o primeiro, mas me deixou concentrada o tempo todo e ansiosa querendo saber o final, um final que conseguiu me surpreender e ainda fechou o livro com cara de novo começo.

Após a história está o apêndice, escrito por Violet Hurst (personagem que falei ali em cima), é engraçado e traz alguns alertas importantes sobre política e meio-ambiente. Não é muito fácil prender a atenção, mas se fosse não pareceria escrito por Violet como realmente pareceu (ela é um gênio, mas não parece do tipo que escreve algo gostoso e fácil de ler).

Por fim, após o apêndice estão as fontes, escrito pelo autor, em formato de texto explicando em detalhes o que é verdade ou não e de onde ele tirou cada coisa que não saiu da sua imaginação em detalhes (não, eu não li nem a metade :P).

Amei a capa, é bem diferente e menos elaborada que a primeira, alguns amigos comentaram que não acharam graça, mas eu curti bastante. Me lembra quadrinhos dos anos 80. Os capítulos não tem título, apenas o número, seguido pelo local e data dos acontecimentos (lembra da resenha do primeiro livro que disse que o autor vai e volta no tempo? Isso continua.). Neste segundo livro os subtítulos continuam sendo iniciados por um desenho sombreado, mas dessa vez do monstro.

Curti e se lançar o terceiro eu vou desejar. Nota 5 de 5.


Citações:

-Obrigada. O que você fazia antes de trabalhar em navios de cruzeiro?
 - Fiz faculdade de Medicina. Essas merdas.


 - Então acho que é como diz Sherlock Holmes. Qualquer coisa é possível se não houver outra explicação.
Violet me olha, surpresa.
Marmoset fala.
- Uma idiotice completa isso que Holmes disse. Você e eu discutimos isso uma vez no ônibus do Hospital da Misericórdia. Isso e como Houdini fez o truque do polegar removível para Arthur Conan Doyle e Doyle pensou que fosse mágica de verdade. De qualquer forma, está errado: sempre há outra explicação.


Eu sei: Obama se mostrou uma enorme decepção para qualquer progressista, e os democratas no Congresso não fizeram grande coisa para se destacar como honestos ou interessados no bem-estar público. Mas isso só explica a apatia. Não explica a votação ativamente republicana, dois anos depois de os republicanos causarem o colapso financeiro mundial. Escreva seu amor ao nilismo anarquista em seus Doc Martens, se quiser. Decepe a própria mão a tiros. Não vote nos republicanos, pelo amor de Deus.

Fotos:








Francini Sonsin Aguiar Cervantes

6 comentários:

  1. Sério que teve gente que achou sem graça?
    :o
    eu AMEI a capa!
    ahuahauhau
    enfim... não é todo mundo que tem bom gosto como nós, cof cof...
    huahauhahau :D brincadeira! :D
    Adorei a resenha!!
    ;*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que curtiu amiga. Eu também achei a capa mara, mas teve gente que achou sem graça sim rs.
      Nossos gostos sempre batem então acho que você tem um excelente gosto :P

      ;***

      Excluir
  2. Salvo engano essa é a continuação do livro que fiquei com vontade de ler!
    ")

    Beijinhos Fran!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oba! Leia os dois então rs, recomendo Lila!
      ;***

      Excluir
  3. Uaaaau! Citações fortes, hein Frahn... mas eu nunca vou contra o grande Sherlock Holmes. hehehe

    Beijocas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kk mas Gi, se analisar bem, Holmes estava certo "Qualquer coisa é possível se não HOUVER outra explicação." e não se você não achar outra explicação ;) no caso tinha, eles acharam depois rs

      ;*

      Excluir

Fique a vontade para comentar. Se quiser receber uma notificação da minha resposta, basta selecionar "notifique-me" abaixo (perto de enviar comentário). Obrigada.